quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

O secretário de assuntos jurídicos do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, João Rufino, falou sobre a ação criminosa que deixou um vigilante morto nesta quarta-feira (13), na Avenida Herculano Bandeira, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife.

Segundo ele, a sensação de insegurança quando o carro-forte chega a uma agência bancária é impossível de ser controlada. “Não tem como. A insegurança desse momento só pode ser mitigada se uma lei, que a gente tentou aprovar muitas vezes, for levada a sério”, contou.

De acordo com ele, para algumas agências, no entanto, não há medidas viáveis. “Lamentavelmente, é impossível porque a questão arquitetônica do prédio impossibilita isso. Essa agência é uma delas. A agência está encravada numa edificação que impede a construção de um local que gere um corredor seguro, que o vigilante desembarque do carro forte, entre nesse corredor e vá direto para dentro da agência”, detalhou.

Ousadia dos criminosos e falta de fiscalização

Na avaliação de João Rufino, o grau de ousadia dos assaltantes assusta. “No começo do mês a gente lembra que teve aquele assalto na [Avenida] Conde da Boa Vista onde os assaltantes entraram e fizeram a ação de mãos limpas. Não tinham armas, não tinham nada. Tomaram a arma do vigilante baseando-se numa fragilidade do sistema de segurança do banco”, lembrou.

O representante do sindicato diz que tanto a agência da Avenida Herculano Bandeira quanto à da Av. Conde da Boa Vista deveriam ter quatro vigilantes trabalhando, mas só tinha três. “Agência tem dois pavimentos, deveria ter quatro vigilantes e só tem três. Para um só ficar em um dos pavimentos ele fica vulnerável. E está vulnerável todo sistema de segurança. A gente lamenta repercutir de novo a fragilidade da segurança, mas isso é responsabilidade da prefeitura, que não observa a lei que existe desde 2010”, criticou.

Relembre o caso

Um vigilante morreu após um assalto a um carro-forte. O corpo de José da Silveira Trajano, segurança de uma empresa de transporte de valores que morreu durante uma tentativa de assalto na manhã desta quarta-feira (13) no bairro do Pina, Zona Sul da capital, está no Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife. Outras três pessoas ficaram feridas na troca de tiros.

Segundo testemunhas, quatro homens armados chegaram em um veículo e deram início à ação, atirando contra o carro-forte que estava em frente a uma agência da Caixa Econômica Federal.

De acordo com o Sindicato de Transporte de Valores e Escola Armada do Estado de Pernambuco, R$ 260 mil foram levados pelo grupo.

De acordo com o Sindicato dos Bancários de Pernambuco, este foi o primeiro assalto a carro-forte do ano. Em 2018, a entidade registrou 190 investidas criminosas a bancos ou correspondentes bancários.

Em nota, a Caixa Econômica Federal lamentou a morte do vigilante e informou que nenhum cliente ou funcionário ficou ferido na ação. A agência esclareceu ainda que está à disposição da polícia para contribuir com as investigações.

A SDS informou que uma força-tarefa bancos foi acionada para atuar no caso. Equipes do 19º batalhão da Polícia Militar, com o apoio de unidades especializadas, e o delegado Vinicius Notari, da Delegacia Roubos e Furtos, trabalham para encontrar pistas que levem aos outros integrantes da quadrilha.

JAILSON-AVIAMENTO-ABRIL-2019-AV

JAILSON-AVIAMENTO-ABRIL-2019-AV

CONTADORA

CONTADORA

banner anuncie (2)

banner anuncie (2)