quarta-feira, 04 de abril de 2018

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Polícia Civil e Polícia Militar realizam em Catende, na manhã desta quarta-feira (4), a terceira etapa da Operação Gênesis. No total, foram mobilizados 32 policiais e dez integrantes do MPPE para cumprir quatro mandados de busca e apreensão, além do afastamento do cargo do prefeito Josibias Cavalcanti; do secretário de Governo Alexandre Cavalcanti, que é filho dele; e de outros seis servidores públicos municipais. Além de serem impedidos de desempenharem suas funções, os alvos da operação também foram proibidos pela Justiça de adentrar as dependências da Prefeitura, sob pena de multa de R$ 5 mil por dia em caso de descumprimento. Por fim, o MPPE obteve ainda a indisponibilidade judicial dos veículos registrados em nome dos investigados.

Os indícios de atos de improbidade que sustentaram o pedido de afastamento do prefeito e demais agentes públicos foram obtidos mediante a apreensão e análise de documentos nas etapas anteriores da Operação Gênesis, capitaneada pelo Grupo de Apoio Especializado de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPPE). Dessa forma, foram comprovadas práticas como fraudes em licitações, vendas de notas fiscais, contratação de empresas laranjas e malversação de recursos públicos.

Segundo informações preliminares, o grupo criminoso era liderado por Alexandre Cavalcanti, com a conivência de seu pai, o prefeito Josibias Cavalcanti. Também exerciam papel de destaque a presidente da Comissão Permanente de Licitação de Catende, Silvana de Melo, que combinava acertos financeiros com donos de empresas de fachada. Durante a operação desta manhã, foram apreendidos nas casas dos alvos da operação cinco telefones celulares, três pen drives, um computador, um HD e um cofre.

Em paralelo ao afastamento do prefeito, foram oficialmente notificados o vice-prefeito e a Câmara de Vereadores de Catende para proceder à realização de sessão extraordinária da casa, a fim de que o vice-prefeito assuma o Poder Executivo municipal. “É importante ressaltar que as investigações criminais decorrentes de todas as provas obtidas nas etapas da Operação Gênesis encontram-se em andamento”, complementou o promotor de Justiça Frederico Magalhães, integrante do Gaeco.

A procuradora do município de Catende, Isabel de Oliveira, acompanhou a atuação do MPPE e Polícia. Ela afirmou que a administração municipal já encerrou os contratos firmados com as empresas investigadas pela Operação Gênesis e que o Tribunal de Contas do Estado está realizando auditoria no município a pedido do prefeito afastado. “Ele está tomando as providências necessárias para mostrar que não admite licitações fraudulentas”, assegurou.

Mais informações serão repassadas amanhã (5), em entrevista coletiva a ser realizada no Salão dos Órgãos Colegiados do MPPE, na Rua do Imperador, 473, Santo Antônio, Recife.

Postado Por: Paulo Fernando

clinica

clinica

CONTADORA

CONTADORA

CURVELO

CURVELO