sexta-feira, 30 de abril de 2021

A Polícia Federal, através de sua Delegacia em Salgueiro/PE, e em parceria com vários órgãos de Segurança Pública (SDS-PE) e do Exército Brasileiro, vem promovendo ações de identificação e erradicação de plantios de maconha no sertão pernambucano. Tais medidas fazem parte das estratégias adotadas pela Coordenação-Geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes-CGPRE, Órgão Central da Polícia Federal em Brasília/DF, com o objetivo de reduzir a produção e oferta de maconha na região. A ação ainda contou com duas aeronaves da Coordenação de Aviação Operacional-CAOP da Polícia Federal.

A Operação Fusarium II foi realizada entre os dias 23 e 28 desse mês, e foram erradicados 531 mil pés de maconha, apreendidos 287 kg da droga pronta para consumo, destruídos 154 plantios, além de 140 mil mudas.

Os plantios foram localizados através de levantamentos realizados pela Polícia Federal e abrangeu diversos municípios da calha do Rio São Francisco como Santa Maria da Boa Vista, Orocó, Cabrobó, Belém do São Francisco, Floresta, assim como municípios do Sertão Central que são Carnaubeira da Penha, Mirandiba, Terra Nova e Salgueiro. A operação ainda se estende pelo Sertão do Moxotó, nos municípios de Serra Talhada, Custódia, Ibimirim, Inajá e Manari. Na região do Araripe também abrange a zona rural dos municípios de Santa Filomena, Santa Cruz de Malta, Ouricuri e Dormentes. Ainda existem pontos de plantios que serão erradicados nos municípios de Mata Grande e Canapi, no estado de Alagoas.

CASO OS 531 MIL PÉS FOSSEM COLHIDOS, PRENSADOS E COLOCADOS NO MERCADO CONSUMIDOR DARIA PARA SE PRODUZIR APROXIMADAMENTE 177 TONELADAS DE MACONHA!

Assim, com essas operações consecutivas, a Polícia Federal contribui significativamente para o desabastecimento dos pontos de venda de droga em nosso estado como também em outros estados da região nordeste, evitando a escalada da violência urbana. Cada ponto de venda de droga desabastecido, significa um foco a menos de criminalidade.

Comunicação Social SR/PF/PE.

quinta-feira, 29 de abril de 2021

A Polícia Federal deflagrou, na data de hoje (29/04/2021), a Operação Quinta Parcela, em continuidade ao combate às fraudes ao Benefícios Emergenciais, os quais beneficiam parte da população com dificuldades financeiras em razão da pandemia. Os trabalhos realizados são resultantes de uma união de esforços denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, CAIXA, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União. Os escopos da atuação conjunta são a identificação de fraudes massivas e a desarticulação de organizações criminosas, com a identificação de seus integrantes e recuperar os valores para o erário. 

Somadas as ações de hoje, já se somam 60 Operações Policiais visando o combate às fraudes, com a realização de mais de duas centenas de Mandados de Busca e mais de 30 indivíduos presos. Em todo o País estão sendo cumpridos 37 Mandados de Busca e Apreensão, 05 Mandados de Prisão Temporária e 03 Mandados de Sequestro de Bens, perfazendo um total de aproximadamente de R$ 140 mil bloqueados por determinação judicial. As ações estão sendo efetivadas nos Estados do Pará, Tocantins, Goiás, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e São Paulo, com a participação de aproximadamente 140 Policiais Federais.

Em Pernambuco a Polícia Federal está dando cumprimento a 05 mandados de prisão temporária, 11 mandados de busca e apreensão, além do sequestro e bloqueio de bens e valores mantidos em contas bancárias de 08 pessoas físicas. Todas as medidas cautelares foram expedidas pelas 24ª e 13ª Varas da Justiça Federal de Pernambuco. Os mandados foram cumpridos simultaneamente nos municípios de Caruaru/PE (05), Palmares/PE (03), Lagoa do Carro/PE (01) e Paudalho/PE (01), e foram empregados aproximadamente 60 policiais federais.

As investigações foram levadas a efeito por meio das Delegacias de Polícia Federal em Caruaru e de Repressão a Crimes Fazendários – DELEFAZ da Superintendência da Polícia Federal em Pernambuco, e se iniciaram em dezembro, após análise das notícias de fraudes aos auxílios emergenciais da Lei 13.982/2020, constantes da Base Nacional de Fraudes ao Auxílio Emergencial – BNFAE, a qual congrega as contestações de beneficiários à Caixa Econômica Federal e é fruto da Estratégia Integrada contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial, definida pela Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa Econômica Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União, cujo foco é a apuração do envolvimento de associação, grupo ou organização criminosa.

Da referida análise, foram estabelecidas correlações entre os registros constantes da BNFAE, sendo possível detectar que pelo menos oito suspeitos, com endereços nos municípios supracitados, seriam os beneficiários de, ao menos, 96 contas do auxílio emergencial fraudadas, a partir das quais os envolvidos efetuaram pagamentos de 74 boletos bancários, utilizaram-se de maquinetas de cartão de crédito e também realizaram transações por e-commerce, tudo no período compreendido entre 05/05/2020 a 03/06/2020.

A soma do montante fraudado inicialmente estimada supera R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), valores relativos somente ao período investigado, podendo ser ainda maior. A investigação busca identificar os demais membros desta ORCRIM, outros benefícios porventura cadastrados e sacados/movimentados de forma fraudulenta, bem como o destino dos valores desviados e sua recuperação.

Os integrantes da ORCRIM são investigados pela prática dos crimes de Estelionato qualificado, associação criminosa, lavagem de dinheiro e constituir/integrar Organização Criminosa, tipificados nos artigos 171, 3º e 288 do CPB, artigo 1º da Lei 9.613/98 e art. 2º da lei 12.850/2013. Penas que se somadas, em caso de condenação, podem chegar a 30 anos de reclusão. O nome da operação faz referência à quinta fase da Operação coordenada nacionalmente pela Coordenação Geral de Polícia Fazendária-CGPFAZ, que visa combater as fraudes perpetradas contra o Auxílio Emergencial.

Fonte: Polícia Federal

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Uma garota de 16 anos denunciou que foi estuprada por oito homens, na orla de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Segundo a Polícia Civil, o boletim de ocorrência foi registrado pela adolescente e pela mãe dela na Delegacia de Prazeres, na madrugada do domingo (25), logo depois do crime.

A Delegacia de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) confirmou, nesta quarta-feira (28), que está investigando o caso, que foi compartilhado nas redes sociais. A delegada Vilaneida Aguiar, titular do inquérito, disse que só vai se manifestar “em momento oportuno”.

Em um vídeo divulgado nas redes, a adolescente disse como ocorreu o estupro coletivo. Ela contou que estava com uma amiga e o namorado dela, quando foi abordada por um jovem que já conhecia. Ela informou que foi para a areia com ele e um amigo e que, ao chegar lá, havia outros seis homens.

A adolescente disse que espera que ninguém passe pelo que ela passou. “Quero que eles paguem pelo que eles fizeram comigo. Estou me sentindo mal. Já tenho ansiedade e isso piorou bastante a minha situação. Não é fácil, mas as mulheres, infelizmente, enfrentam essa luta o tempo todo. E tem que se apoiar”, afirmou.

Também nas redes sociais, a adolescente publicou fotos mostrando como ficou o corpo depois das agressões sofridas. Em uma imagem, ela apresenta arranhões e marcas de pancadas na barriga.

O caso teve grande repercussão nas redes sociais. Na manhã desta quarta-feira (28), internautas publicaram uma hashtag em apoio à jovem.

(Com informações do G1)

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Motorista informou que havia alugado o veículo e não sabia da irregularidade

Um carro que havia sido roubado em janeiro de 2019 na cidade de Aracaju, em Sergipe, foi recuperado na terça-feira (27), na BR 232, no Bairro dos Torrões, na Zona Oeste do Recife. O motorista do veículo foi detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Policiais realizavam uma fiscalização no Km 4 da rodovia, quando abordaram um carro com placas de Recife. Em consulta, foi descoberto que o veículo portava placas clonadas e possuía um registro de roubo.

O motorista disse que havia alugado o carro e não sabia da irregularidade. Ele foi encaminhado à Central de Plantões da Capital, em Campo Grande, na Zona Norte do Recife, e poderá responder por receptação.

terça-feira, 27 de abril de 2021

A prisão foi realizada no Aeroporto Internacional dos Guararapes, no Recife.

Recife/PE -A Polícia Federal prendeu, em flagrante, na data de ontem (26/04), por volta das 13h, no Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre, uma mulher suspeita por tráfico de drogas. A prisão foi realizada durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico de entorpecentes bem como outros tipos de ilícitos no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre.

Os policiais federais suspeitaram do comportamento de uma mulher no momento da retirada das bagagens, pois a mesma apresentava-se inquieta e nervosa. Ao ser questionada sobre o conteúdo no interior da mala, a suspeita entrou em contradição, e por isso foi conduzida para uma sala reservada da PF no aeroporto para uma verificação mais minuciosa. A ação foi concluída quando, ao abrir a mala, os policiais encontraram num fundo falso aproximadamente 5,8Kg de haxixe.

A suspeita recebeu voz de prisão em flagrante e foi conduzida para a Superintendência da Polícia Federal, no Cais do Apolo, onde foi autuada pela prática do crime contido nos artigos 33 e 40 inciso V da Lei nº 11.343/2006 (tráfico interestadual de entorpecentes), e caso seja condenada, poderá ser condenada a penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão.

Comunicação Social SR/PF/PE.

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Empresa sediada no Recife dizia ter meio bilhão de doses e ofereceu a mais de 20 prefeituras do país

Uma operação que investiga a aplicação de golpes na oferta da vacina de Oxford/Astrazeneca foi desencadeada nesta quinta-feira (22), pela Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCRJ), com o apoio da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) e Polícia Rodoviária Federal (PRF). Intitulada Sine Die – sem data, em latim – a iniciativa cumpriu quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Criminal Especializada do RJ, em duas residências e um empresarial, no Recife, e em uma residência em Muro Alto, no Litoral Sul.

A Delegacia de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro descobriu que uma empresa, com sede no Recife, dizia ter um lote de meio bilhão de doses do imunizante e havia oferecido a mais de 20 prefeituras de todo o Brasil. Entre os municípios que receberam a oferta, estão Duque de Caxias e Barra do Piraí, no Rio de Janeiro, e Porto Velho, em Rondônia.

De acordo com contrato apresentado pela empresa, as cidades deveriam realizar o pagamento antecipadamente via “swift” — um tipo de remessa internacional — ou carta de crédito no momento da suposta postagem das doses em Londres. Porém, não havia nenhuma garantia de que as vacinas seriam entregues.

“Nas reuniões com os prefeitos, eles se passavam por representantes da Ecosafe Solutions, na Pensilvânia (EUA). Eles alegavam que essa empresa americana recebeu 500 milhões de doses por ter financiado os estudos da vacina”, explicou o delegado Thales Nogueira.

Os agentes verificaram que a Ecosafe, além de ser recém-criada, utiliza como endereço um escritório de coworking e oculta os dados de registro de seu site.

Uma reunião de oferta de doses foi gravada, com autorização da Justiça. “Os sócios ofereceram as doses para a Prefeitura de Barra do Piraí e utilizaram como exemplo o Município de Porto Velho, em que já houve o pagamento e atraso na entrega das doses prometidas”, disse o delegado.

terça-feira, 20 de abril de 2021

A Polícia Federal prendeu no dia de ontem (19/04), no âmbito da Operação Captivus, dois suspeitos que sacaram, de forma fraudulenta, valores referentes a auxílio-reclusão num banco privado sediado na cidade do Cabo de Santo Agostinho. As investigações foram levadas a efeito através da Delegacia de Combate a Crimes Previdenciários da Polícia Federal, com apoio da Força Tarefa Previdenciária, dando conta de saques fraudulentos em benefícios do tipo auxílio-reclusão, usando para isso documentação fraudada para majorar o valor do benefício, superdimensionando o valor retroativo.

De posse dessas informações, tendo sido acionado pela agência bancária, policiais federais, com o apoio de agentes da Polícia Civil de Pernambuco, se dirigiram até o local e conseguiram prender dois envolvidos, uma mulher e um homem que a auxiliava, tendo as prisões ocorrido logo após a realização do saque de aproximadamente 76 mil reais.

Ambos os suspeitos foram levados à sede da Polícia Federal em Pernambuco, onde foram autuados pela prática do crime previsto no Artigo 171, §3º, do Código Penal (estelionato majorado), cujas penas variam de 3 a 5 anos de reclusão e multa. A autuada já era alvo de investigação em curso na Polícia Federal por envolvimento em fraudes previdenciárias, tendo, inclusive, realizado, em duas outras ocasiões, saques de benefícios nos valores de 135 e 130 mil reais.

Fonte: Polícia Federal

segunda-feira, 19 de abril de 2021

Um dos integrantes é suspeito de envolvimento no roubo a 61 armas da Polícia Militar em 2009

Cinco homens e uma mulher suspeitos de integrarem uma quadrilha que praticava furtos a envelopes de caixa eletrônico foram detidos na noite de sábado (17), na BR 101, em Igarassu, no Grande Recife, e no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul da capital. Diversos equipamentos utilizados para retirar os envelopes foram apreendidos, em uma ação integrada da Polícia Federal (PF) Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Civil de Pernambuco (PCPE).

Equipes da PRF e da Polícia Civil acionadas pela PF realizaram uma fiscalização no Km 29 da BR 101, quando abordaram um utilitário ocupado por dois homens e uma mulher. Dentro do veículo, foram encontrados dispositivos utilizados para retirar envelopes e os policiais descobriram que outra parte do grupo estava em um hotel em Boa Viagem. A PF enviou uma equipe ao local para verificar se havia mais membros do grupo hospedados lá. Após uma verificação, outros três homens foram detidos e mais material para retirar envelopes foi apreendido no hotel.

Um dos integrantes é suspeito de envolvimento no roubo a 71 armas de batalhões da Polícia Militar, no ano de 2009, no Sertão de Pernambuco. Todos foram encaminhados junto com o material apreendido à Delegacia de Polícia Federal no Bairro do Recife, na área central da cidade.

Na ação também foram apreendidos R$ 7.200 reais, 4 aparelhos celulares e dois automóveis. Todos os presos foram autuados pela prática dos crimes contido no artigo 2º da lei 12.850/2013 por promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa – cujas penas variam de 03 a 08 anos de reclusão e multa.

Fonte: Polícia Federal

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Falta alimentos para mais de 10 milhões de brasileiros e a LBV conta com a sua ajuda. Não deixe pra depois, faça a sua parte.

Milhares de pessoas não têm o que comer: falta-lhes o alimento básico. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em cinco anos, a fome aumentou no Brasil e já são 10,3 milhões de pessoas que vivem em insegurança alimentar grave no país. A fome é mais prevalente nas áreas rurais, atinge mais os domicílios chefiados por mulheres e quase metade dos famintos são da região Nordeste. Com a pandemia do novo coronavírus os índices de desemprego também aumentaram atingindo a marca de 14,1 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) pelo IBGE, divulgada em dezembro/2020. Outra preocupação é a alta nos preços dos alimentos que também afeta as famílias mais vulneráveis, principalmente as que moram com pessoas abaixo dos 18 anos.

Por isso, a Legião da Boa Vontade (LBV) continua sua intensa mobilização social, por meio de suas campanhas emergenciais que visam angariar donativos para entregar itens essenciais, a exemplo do leite, que compõe a cesta de alimentos, tão necessário para reforçar a alimentação da família e ajudar no desenvolvimento de crianças.

A LBV precisa de doações para continuar prestando o atendimento a milhares de famílias em vulnerabilidade social e em risco alimentar que foram fortemente afetadas com os impactos socioeconômicos da pandemia da Covid-19.

A meta da LBV é entregar por meio da Campanha Diga SIM, até agosto, nas cinco regiões do país, 85 mil cestas de alimentos; 242 mil litros de leite; 91 mil kits de higiene e de limpeza; e ainda 20 mil cobertores para famílias que residem em regiões onde o inverno é mais rigoroso, além de continuar com todo atendimento em suas 82 unidades socioeducacionais.

Comunidades atendidas X Fome

 O público atendido pela LBV no Recife, são famílias de comunidades vulneráveis da Região Político Administrativa – RPA 1, entre elas, Cabanga, Coelhos, Coque, Ilha de Joana Bezerra, Santo Antônio, São José, Santo Amaro. Contudo, a Instituição está presente também no Agreste e no Sertão do Moxotó, assistindo famílias oriundas da zona rural.

 No Recife, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, divulgada em setembro/2020, descreve que a Região Político Administrativa do Recife – RPA 1, é a região mais vulnerável do Recife, com uma renda per capita de meio salário mínimo por família, que lutam para o sustento familiar. Dados ainda da pesquisa, aponta que em Pernambuco, 661 mil pessoas enfrentam a insegurança alimentar grave, que ocorre quando os moradores passam pela privação de alimentos, levando à fome.

SAIBA COMO AJUDAR:

Acesse www.lbv.org.br e colabore. Selecione a opção que desejar e, de coração, doe qualquer valor. Se preferir, faça uma transferência bancária pelo PIX oficial da LBV:[email protected].

CONTAS BANCÁRIAS:

Bradesco: Agência: 0292-5 — C/C: 92830-5

Itaú: Agência: 0237 — C/C: 73700-2

Banco do Brasil: Agência: 3344-8 — C/C: 205010-2

Caixa Econômica Federal: Agência: 1231 — operação: 003 — C/C: 100-0

Santander: Agência: 0239 — C/C: 13.002754-6

Confira essas e outras ações realizadas pela LBV no endereço @lbvbrasil no Facebook, no Instagram e no YouTube.

terça-feira, 13 de abril de 2021

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 13, a Operação Frígia-Contra, segunda fase da Operação Frígia, deflagrada no segundo semestre de 2020, que visa combater organização criminosa que atua em extração ilegal de ouro no Sertão de Pernambuco. Estão sendo cumpridos 05 mandados de busca e apreensão e 04 mandados de prisão.

As medidas estão sendo cumpridas nos endereços dos investigados, localizados em Igarassu/PE, Redenção/PA e São Félix do Xingú/PA, sobre os quais constam fortes indícios que integram a organização criminosa, envolvendo agentes públicos e particulares, financiadores, refinadores de minério e receptadores.

A operação contou com a participação de 50 policiais federais e foi oriunda de uma investigação conjunta realizada entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

A atividade do grupo criminoso investigado consistia na extração de minérios em terrenos públicos e particulares, localizados na Zona Rural de Verdejante, com o consequente beneficiamento, que era realizado no município de Serrita, e, por fim, a comercialização do ouro. Os valores oriundos da venda eram colocados em circulação, com aparência de legalidade, por meio da aquisição de veículos e de outras condutas, atos consistentes em lavagem de dinheiro.

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de usurpação de bens da União, crimes ambientais, lavagem de capitais, organização criminosa e violação de sigilo funcional, cujas penas ultrapassam os 20 anos de reclusão, além de multa.

O nome da operação – Frígia – faz menção à terra do Rei Midas da mitologia grega. Tudo o que ele tocava virava ouro.

Da Polícia Federal