terça-feira, 27 de outubro de 2020

Um homem foi morto pelo próprio sobrinho, na madrugada desta segunda-feira (26), na Rua do Buraco, em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco.

Cícero Gomes Barbosa, de idade não informada, foi morto pelo sobrinho, Roniellison Carlos da Silva, que foi preso em flagrante. A faca usada no crime foi apreendida. A tia do acusado, Daniela Maria da Silva Veloso, ficou ferida pelos golpes desferidos pelo autor.

De acordo com a Polícia Civil Roniellison fazia uso de drogas quando, sem motivos, armado com uma faca peixeira passou a desferir golpes contra Cícero, que atingido no pescoço, não resistiu aos ferimentos, morreu em via pública.

O acusado foi preso em flagrante.
Daniela deu entrada no Hospital José Fernandes Salsa, onde recebeu atendimento médico.

Roniellison foi conduzido para a delegacia de plantão, onde foi autuado em flagrante.

O corpo de Cícero foi encaminhado para o IML do Recife.

terça-feira, 27 de outubro de 2020

A PF deflagrou hoje, 27/10, a Operação Frígia, que visa combater organização criminosa que atuava com garimpo ilegal no Sertão de Pernambuco. Estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão, sendo 3 destes em desfavor de Policiais Militares (já afastados das funções) que atuavam diretamente na atividade criminosa, um vice-prefeito que dava suporte aos criminosos e afastamento das funções de um policial federal.

As medidas estão sendo cumpridas nos endereços dos acusados, localizadas em Serrita/PE, São José do Belmonte/PE, Igarassu/PE, Juazeiro do Norte/CE e Jardim/CE, sobre os quais constam fortes indícios que integram a Organização Criminosa, envolvendo agentes públicos e particulares, financiadores, refinadores de minério e receptadores.

A atividade da organização criminosa investigada consistia na extração de minérios em terrenos públicos e particulares, localizados na Zona Rural de Verdejante, com o consequente beneficiamento, que era realizado no município de Serrita, e, por fim, a comercialização do ouro. Os valores oriundos da venda eram colocados em circulação, com aparência de legalidade, através da aquisição de veículos e outras condutas, atos consistentes em lavagem de dinheiro. Também se constatou que alguns pagamentos pelos serviços realizados em favor do garimpo eram feitos através de verbas da Prefeitura Municipal de Serrita.

A Operação contou com a participação de 57 policiais federais e foi oriunda de uma investigação conjunta realizada entre a Delegacia de Polícia Federal em Salgueiro e o Ministério Público Federal. Os crimes que estão sendo imputados aos suspeitos são os previstos no art. 2° da Lei n.º 8.176/91 (usurpação de bens da União), artigos 54 e 55 da Lei n.º 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais), art. 1° da Lei n.º 9.613/98 (Lei de Lavagem de Capitais) e art. 2° da Lei n.º 12.850/13 (Lei de Organização Criminosa), cujas penas ultrapassam os 20 anos de reclusão, além de multa.

Frígia faz menção a terra do Rei Midas da mitologia grega. Tudo o que ele tocava virava ouro.

Fonte: Polícia Federal

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Visando aumentar a segurança nas eleições, a Polícia Federal utilizará mais de 100 aeronaves remotamente pilotadas como ferramenta para inibir a prática de crimes eleitorais durante o pleito de 2020. Os equipamentos serão alocados em municípios estratégicos em todo o território Nacional. Os drones irão sobrevoar as principais zonas eleitorais do país ajudando a fiscalizar e combater crimes como boca de urna e transporte de eleitores. Tais equipamentos trazem tecnologia de ponta e são capazes de tornarem-se imperceptíveis ao voar em elevada altitude.

Os drones possuem câmeras capazes de realizar zoom suficiente para identificar suspeitos, placas de veículos, entregas de santinhos e situações de compra de votos, com imagens de alta nitidez. As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da Polícia Federal que estará preparada para monitorar toda as eleições e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas. Assim, diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão, imediatamente, para o local indicado para prender os suspeitos, que serão conduzidos para a delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes.

A ação segue orientações da Direção Geral da Polícia Federal, no sentido de utilizar novas tecnologias para prevenir e reprimir ações delituosas. O uso de drones possibilita, ainda, diminuir a presença física dos policiais e o contato social com não envolvidos em situação criminosa, o que se torna extremamente relevante diante do cenário de medidas de distanciamento social para combater a epidemia do novo coronavírus.

Com isso a instituição visa cumprir seu mister constitucional de polícia judiciária eleitoral e mostrar que está preparada para combater os crimes eleitorais, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer o seu direito de sufrágio dentro da legalidade. Maiores detalhes e esclarecimentos sobre a utilização dos drones na eleição em nosso estado, serão repassadas amanhã, a partir das 7h na Superintendência da Polícia Federal que fica localizada no Cais do Apolo, 321 – bairro do recife antigo.

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

O Sistema PIX criado pelo Banco Central que vai permitir realizar recebimento de pagamentos e transferências em dinheiro quase que instantaneamente, já vem sendo usado por golpistas contra correntistas de alguns bancos. O novo sistema está previsto para começar a operar no dia 16 de novembro, porém, desde o dia 5 de outubro que o Banco Central, já autorizou as instituições financeiras a fazerem um pré-cadastro dos clientes com o objetivo de se preparar para o início das operações. As chaves ou senhas de segurança pode ser, número de celular, CPF ou CNPJ, e-mail ou chave aleatória, que é um código criado pelo próprio Pix. Com apenas essa chave Pix, ninguém vai mais precisar passar números de agência e conta de bancos para receber pagamentos ou fazer transferências, basta apenas um dado do cadastrado. As chaves servem para identificar os usuários dentro do sistema.

Mensagens enviada pelos golpistas

O problema é que em virtude dos bancos estarem convidando seus clientes para cadastrarem suas “chaves” no sistema, criminosos estão se aproveitando desse movimento para obter informações sigilosas e senhas, enganando os consumidores fazendo-os se cadastrarem em um site falso. Vale lembrar que o Pix será operacionalizado por mais de 900 instituições financeiras devidamente cadastradas e aprovadas pela autoridade monetária. Então deve-se tomar muito cuidado porque o número de clientes é enorme e cada um pode ser uma vítima em potencial.

Um a cada oito usuários de internet no Brasil (13%) acessaram, de abril a junho/2020, ao menos um link que direcionava a páginas falsas e com potencial risco de golpe. O índice está bem acima da média mundial – 8,26%, no mesmo período – e coloca o Brasil como o quinto país com maior proporção de usuários atacados. A empresa de segurança cibernética Kaspersky, identificou mais de 30 milhões de ataques do tipo no Brasil em 2019 e mais de 100 sites falsos em menos de uma semana já foram criados com o objetivo de enganara as pessoas, dente eles estão: chavepix.me, gerenciadorpix.com, pagarpix.com, pixapp.online, pixbrasil.tech, pixempresas.com, suportepix.online, pix.atualizacaowebsegura.gq, pixjuridico.com – todos já foram devidamente bloqueados

O Brasil está entre os cinco países com mais vítimas de phishing – golpe em que o criminoso engana a vítima para conseguir dados pessoais, como senhas de banco. O termo phishing faz alusão à pescaria, pois golpistas usam o PIX como ‘isca’ para que a vítima entregue seus dados. As instituições financeiras, por sua vez, alertam que nunca pedem senhas ou código de validação de transações fora de seus canais digitais. As técnicas mais comuns são: a instalação de softwares maliciosos (malware) nos computadores e celulares; promoções falsas para coleta de dados; e a indução da entrega de informações em cadastro falso. As mensagens via de regra são enviadas através de links para o e-mail, SMS, whatsapp ou facebook. Uma da vítimas, mais recente foi um Promotor de Nova Petrópolis/RS, que recebeu uma mensagem no whatsapp com a mensagem de que o cadastro estava desatualizado e seria bloqueado, após fazer a validação, cadastro no Pix e ativação do cartão virtual bandidos invadiram sua conta bancária, pagaram três boletos e deixaram prejuízo de R$ 27,4 mil para o servidor do Ministério Público.

COMO ESCAPAR DO GOLPE?

  1. Em hipótese alguma forneça senhas ou efetue cadastro fora do aplicativo ou site oficial do banco (nem mesmo pelo telefone);
  2. Nunca clique em links e nem em botões para instalações de qualquer dispositivo enviados por e-mail, whatsapp, facebook ou SMS sob hipótese alguma, é sempre melhor apagar.
  3. Os bancos não enviam mensagens ou links pedindo dados, senhas ou informações pessoais dos correntistas e não envia links por e-mail ou whatsapp para atualização de qualquer sistema de segurança ou verificação de cadastro, via de regra isso é feito no site oficial ou pelo próprio aplicativo quando ele precisa fazer algum tipo de alterações ou mudanças para o tornar mais seguro e completo.
  4. Não compartilhe links duvidosos com seus contatos sem antes saber se são autênticos – você pode estar sendo usado por bandidos para espalhar o golpe e prejudicar outras pessoas, inclusive seus parentes.
  5. Cuidado com o imediatismo de mensagens tais como: Sua Conta será bloqueada se não fizer o procedimento de segurança, quase sempre tais conteúdos querem fazer com que as pessoas não pesquisem a veracidade das informações na página oficial da empresa ou dos bancos.
  6. Nunca preencha nenhum cadastro, formulário ou pesquisa fornecendo seus dados financeiros ou pessoais através de links enviados pelo e-mail, tais como: senha de bancos, cartão de crédito, conta corrente, benefícios, dentre outros.
  7. Ao entrar em qualquer página verifique se existe um cadeado cinza no canto superior esquerdo da página – isso atesta que sua conexão não foi interceptada e que o site está criptografado para impedir golpes.
  8. Veja a grafia do endereço da página. Elas têm que ter o HTTPS onde o “S” corresponde a uma camada extra de segurança, ou as terminações, .com.br, .gov.br;
  9. Nunca baixe programas piratas para o celular ou computador, tais sites costumam ter a maior concentração de vírus;
  10. Instale um bom antivírus em seu celular ou computador e tenha o sistema operacional do seu celular e computador atualizados

Esses casos em que o particular ou a pessoa física são lesados é de competência da Polícia Civil e quem tiver sido vítima de golpes financeiros deve procurar imediatamente uma delegacia mais próxima de sua residência para prestar um boletim de ocorrência policial a fim de que tais criminosos possam ser identificados e presos. E caso o celular tenha sido invadido por programas malicioso seus dados pessoais estão fragilizados e sua vida financeira está correndo riscos – por isso se faz necessário a análise por parte de uma especialista em informática para que medidas de segurança sejam adotadas.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

A Polícia Federal através de sua Delegacia em Salgueiro, prendeu na tarde de ontem, 14/10/2020, dando cumprimento a um mandado de prisão decorrente de sentença penal condenatória, transitado em jugado, expedido pela 38ª Vara Federal, o ex-prefeito do município de Flores/PE, o qual exerceu o mandato naquela cidade nos anos 1992 a 1996 e 2001 a 2004.

O ex-prefeito desviou recursos públicos em proveito próprio ou alheio destinados ao convênio nº 3257/01 com a Fundação Nacional de Saúde-(FUNASA) para melhoria habitacional no município para o controle da doença de Chagas. As investigações da Polícia Federal indicaram a execução de apenas 51% do objeto previsto no convênio, embora o pagamento tenha sido feito integralmente à empresa contratada. O ex-político foi condenado pela Justiça Federal, pela prática de crimes de responsabilidade, à pena de 08 (oito) anos de reclusão em regime fechado, bem como à inabilitação para o exercício de cargo ou função pública por 05 (cinco) anos, e à reparação do dano causado aos cofres públicos, que, em 2016, ultrapassavam os R$ 400 mil.

Ele também já havia sido condenado pelo TCE a restituir aos cofres públicos a importância de R$ 2.099.140,30, devido a prática de diversas irregularidades no exercício financeiro de 2003 em virtude de não ter aplicado 25% da receita do município em educação, como determina a Constituição Federal, gastou com a folha dos servidores um percentual superior ao limite fixado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, fez despesas sem autorização legislativa e contratou uma Organização Social de Direito Público-OSCIP irregularmente para terceirização de mão de obra, efetuou despesas sem comprovação fiscal, promoveu gastos irregulares com propaganda e deixou de cobrar dívidas imputadas pelo TCE.

Após tomar ciência do mandado de prisão em sua residência, o preso foi levado para realizar exame de corpo de delito no IML, e nesse momento encontra-se custodiado nas dependências da Delegacia da Polícia Federal de Salgueiro e hoje de manhã será levado para comparecer a audiência de custódia na Justiça Federal de Serra Talhada e caso seja confirmada sua prisão condenatória, será em seguida levado para ao estabelecimento prisional, onde ficará à disposição da Justiça Federal.

Imagem: Polícia Federal

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

A Polícia Federal em Alagoas deflagrou na manhã de hoje, 14/10, a Operação Seguro-Mamata, que investiga organização criminosa atuante desde 2016 em fraudes ao Seguro-Desemprego nos Estados de Alagoas, Pernambuco, Sergipe e São Paulo. Os prejuízos causados pelo esquema criminoso totalizam quase doze milhões de reais.

​​O inquérito policial foi instaurado há cerca de um ano e meio. Foram identificados dezenas de vínculos empregatícios com empresas fantasmas e empregadores individuais inexistentes com o objetivo de criar artificiosamente direito ao seguro-desemprego.

​​São 40 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão expedidos pela Justiça Federal em Alagoas sendo cumpridos em dezesseis municípios em Alagoas, Pernambuco, Sergipe e São Paulo, além do afastamento cautelar de 16 servidores públicos.

​​Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de constituição de organização criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informações, peculato e estelionato, cujas penas máximas, se somadas, atingem 37 anos de reclusão.

Seguindo todos os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde em face da pandemia do Covid-19, a Polícia Federal continua trabalhando.

Os materiais apreendidos foram encaminhados à Sede da Polícia Federal em Alagoas para os procedimentos de praxe.

Fonte: Polícia Federal

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

A Polícia Federal em Pernambuco, reduziu a termo de declarações e procedeu a apreensão de 08 cédulas de R$ 200, perfazendo um total de R$ 1.600 (mil e seiscentos reais) recebidas por um administrador de 60 anos, natural e residente em Camaragibe/PE, o qual havia colocado à venda 11 refletores metálicos de 400 watts cada um, numa página do facebook. Uma mulher se interessou pela compra e compareceu na residência do empresário no dia 02/10 por volta das 14h, acompanhado de um homem num veículo Fiat Toro com o objetivo de pagar e levar os equipamentos colocados à venda. O pagamento então foi efetuado com 08 notas de R$ 200 reais, o produto foi entregue e só depois que os compradores foram embora, o empresário percebeu ao conferir as notas que elas eram falsas por causa da numeração que estavam repetidas na maioria delas.

Ao tomar conhecimento que havia sido enganado, o administrador procurou a Polícia Federal no dia 08/10 e entregou todas as notas falsas, bem como as conversas que manteve com os falsários até a conclusão da venda e recebimento das notas. As investigações da Polícia Federal vão se debruçar em identificar e responsabilizar criminalmente os dois suspeitos que repassaram as notas falsas, causando prejuízo ao administrador. Quem repassa nota falsa poderá ser autuado em flagrante pelo crime contido no artigo 289 § 1º do Código Penal (introduzir em circulação nota falsa) e se condenado poderá pegar penas que variam de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa.

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

A Polícia Federal em Pernambuco, deteve no dia 09/10/2020, por volta das 23h, no Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre, uma advogada de 23 anos, natural de Dourados/MS e residente em Brilhante/MS, um administrador de 26 anos, natural e residente em Campo Grande/MS e um empresário de 32 anos, natural de Campo Grande/MS e residente em Ipojuca/PE, um servidor público estadual de 29 anos, natural e residente em Campo Grande/MS e um empresário de 32 anos natural de Campo Grande/MS e residente em Ipojuca/PE.

A detenção aconteceu durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes bem como outros tipos de ilicitudes de competência federal no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre. Os Policiais Federais através de um procedimento padrão, abordaram alguns passageiros no desembarque do voo oriundo de São Paulo com conexão no Mato Grosso do Sul e desembarque em Recife/PE. Ao ser feita uma busca minuciosa em seus pertences encontrou-se cerca de 70g de maconha com os  três primeiros suspeitos e ao saírem do aeroporto e se encontrarem com um empresário, também foi encontrado 10g de maconha dentro de seu veículo.

Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido a droga encontrada, todos foram detidos e informados dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida conduzidos para a Superintendência da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabaram sendo autuados através de um TCO-Termo Circunstanciado de Ocorrência pela prática contida no artigo 28 da Lei nº 11.343/2006 (trazer consigo para consumo pessoal, substância entorpecente proibida por lei) cujas penas são de advertência sobre os efeitos das drogas; prestação de serviços à comunidade; medida educativa de comparecimento à programa ou curso educativo. Após prestarem o compromisso de comparecerem à Justiça todos foram liberados e vão responder ao processo em liberdade.

Em seus depoimentos todos informaram que estavam vindo 10 dias de férias em Porto de Galinhas/PE e assumiram ser usuários de maconha. Apreensões como esta demonstram um trabalho de fiscalização minucioso por parte da Polícia Federal no Aeroporto dos Guararapes com o objetivo de reprimir a entrada de qualquer tipo ou quantidade de droga em nosso estado.

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Equipes da Polícia Judiciária da Força Nacional que estão atuando no Projeto Paulista-PNECV-(Programa Nacional de Enfrentamento a Criminalidade Violenta) do Ministério da Justiça em conjunto com a Polícia Federal, prendeu no último dia 09/10 por volta das 10h, um montador de móveis de 29 anos, natural e residente em Paulista/PE. A prisão aconteceu numa ação conjunta de rotina entre a Força Nacional e a Polícia Federal, visando coibir o tráfico de drogas na região de Paulista/PE, numa dessas abordagens a Força Nacional parou um veículo no bairro da Mirueira-Paulista/PE que estava vindo do Alto da Conquista-Olinda/PE. Dentro dele havia uma mulher que estava dirigindo (motorista de UBER) e um suspeito que estava com uma sacola preta junto aos seus pés. Ao ser feita uma busca no interior da sacola foi encontrado um revólver calibre .32 com 06 munições intactas, além de aproximadamente 1Kg de maconha envolta em fita adesiva.

Terminado os trabalhos ostensivos e tendo sido constatado a existência da ilicitude, o suspeito recebeu voz de prisão em flagrante, foi informado dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida conduzido para a Superintendência da Polícia Federal, no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuado em flagrante pelo crime contido no artigo 33 da Lei nº 11.343/06  (tráfico de entorpecentes) e no artigo 14 da lei 10.826/03 (porte ilegal de arma de fogo de uso permitido) e caso seja condenado poderá pegar penas que variam de 3 a 20 anos de reclusão, além de multa.

Após a autuação, o preso realizou Exame de Corpo de Delito no IML – Instituto de Medicina Legal, foi encaminhado para a audiência de custódia, onde foi confirmada sua prisão preventiva, sendo levado em seguida para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna onde ficará à disposição da Justiça Estadual. Já a mulher, condutora do veículo disse que apenas estava transportando o suspeito e que não tem qualquer envolvimento com suas atividades criminosas, apesar de já tê-lo transportado outras vezes em seu veículo para outras localidades. Ela foi ouvida em termos de declarações e liberada em seguida porque não ficou comprovada sua participação no crime.

Em seu interrogatório o suspeito informou que já foi preso por tráfico de drogas e há cerca de um ano estava em liberdade condicional e que a droga e o revólver lhe foi entregue por uma pessoa (não deu maiores detalhes) no Alto da Conquista-Olinda/PE, e que por sua vez seria entregue em Paulista/PE.

A Força Nacional de Segurança Pública é um programa de cooperação entre os estados-membros e a União Federal, a fim de executar, através de convênio, atividades e serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública, à segurança das pessoas e do patrimônio, atuando também em situações de emergência e calamidades públicas. Além disso, ampliou-se a cooperação, não só com os estados-membros e Distrito Federal, como também em apoio aos órgãos federais como a Polícia Federal. Suas atribuições não mais se resumem à atuação em policiamento ostensivo, mas também no combate aos crimes ambientais, realização de bloqueios em rodovias, atuação em grandes eventos públicos de repercussão internacional, ações de defesa civil em caso de desastres e catástrofes.

sexta-feira, 09 de outubro de 2020

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (9), a “Operação Amphis”, que teve início em 2014 e decorre de investigação de atuação de organização criminosa transnacional, que atua em diversas modalidades criminosas, como evasão de divisas, manutenção de instituição financeira clandestina, falsidade documental, descaminho e lavagem de dinheiro, capitaneados por grupo criminoso atuante em Recife/PE e em outras capitais do país, além de operar também no estado da Flórida/EUA.

Somente no Brasil, através da abertura de contas bancárias com documentos falsos ou em nome de empresas “fantasmas”, o grupo movimentou mais de R$ 200 milhões nos últimos dez anos.

Os alvos das medidas são três doleiros de Recife/PE, pessoas que os auxiliavam nas atividades criminosas, além de indivíduos que se valeram de serviços ilícitos promovidos pelos mesmos, consistentes na remessa clandestina de divisas ao exterior.

Cerca de 60 policiais federais estão cumprindo nos respectivos escritórios e residências dos suspeitos, 13 mandados de busca e apreensão, além disso foi decretado pela Justiça Federal de Recife/PE, o sequestro de imóveis e veículos, bloqueio de contas dos investigados e de empresas “fantasmas”. A ação ocorre nos municípios de Recife/PE, Jaboatão dos Guararapes/PE, Goiânia/GO, São Paulo/SP, Fortaleza/CE e Rio de Janeiro/RJ.

Os policiais federais estão arrecadando material (documentos e arquivos digitais), que serão analisados posteriormente pela equipe de investigação da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros da PF em Pernambuco. As penas dos crimes, somadas, podem chegar a 29 anos de prisão.

O nome da operação deriva do prefixo “Amphi”, de origem grega, que significa “os dois lados” utilizado na biologia para nomear cientificamente algumas espécies de animais. Foi utilizado em função dos principais alvos terem, cada um, pelo menos duas identidades (algumas falsas) e ainda por atuarem tanto no Brasil, quanto nos EUA.