quinta-feira, 08 de março de 2018

A Polícia Federal em Pernambuco prendeu em flagrante na tarde de ontem, dia 07/03/2018, por volta das 15h, Katrine de Oliveira Lopes, de 24 anos, autônoma, natural e residente em Vitória/ES-(não possui antecedentes criminais). A prisão aconteceu durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre. Os Policiais Federais ao selecionar alguns passageiros suspeitos e submeter as suas bagagens pelo aparelho de raios “x”, identificaram uma sacola de nylon que continha em seu interior alguns objetos de formato oval. A sacola foi separada e a sua proprietária foi identificada e convidada a comparecer na sala da Polícia Federal onde após se submeter a uma entrevista prévia, começou a ficar nervosa e a se contradizer em algumas das suas respostas (disse que tinha perdido e voo e que tinha uma avó residente em Olinda – mas não soube informar nem o endereço e nem o contato telefônico).

A ação teve seu desfecho final quando os policiais federais ao procederem a abertura de sua sacola vieram a descobrir em seu interior 10 tabletes que ao passar pelo exame narcoteste resultou positivo para a droga denominada “haxixe” (resina da maconha). A droga totalizou um peso bruto de 10,5Kg (dez quilos e quinhentos gramas). O Haxixe não é produzido no Brasil e pela forma de apresentação a droga é oriunda do oriente e norte da África. O haxixe consiste no produto extraído, em forma de resina, das flores e frutos da Maconha. No Brasil, o percentual de pessoas que consomem o haxixe é o mesmo da maconha. Porém, por ser um pouco mais forte, ele é mais consumido por quem já utiliza a maconha há algum tempo.

Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido toda a droga encontrada a suspeita recebeu voz de prisão em flagrante foi informada dos seus direitos e garantias constitucionais e levada para a sede da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuada pela prática do crime contido no artigo 33 e 40, inciso v da Lei nº 11.343/2006 (tráfico interestadual de entorpecentes) e caso seja condenada poderá pegar penas que variam de 5 a 15 anos de reclusão. Na data de hoje, 08/03 por volta das 9h, a presa realizará Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal, e em seguida será levada para a audiência de custódia! Caso seja CONFIRMADA A SUA PRISÃO PREVENTIVA ela será posteriormente conduzida para o Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, onde ficará à disposição da Justiça Federal/PE. Além da droga também foram apreendidos cartões de embarque, 01(um) aparelho celular, além do seu passaporte.

Em seu interrogatório a suspeita informou que saiu de Vitória/ES e veio para Olinda/PE onde ficou hospedada num hotel até o momento que iria embarcar para o Rio de Janeiro/RJ onde lá entregaria droga a uma pessoa que entraria em contato através do seu celular. A presa não deu detalhes quem seria a pessoa que lhe aliciou para vir até o estado pernambucano nem como foi o encontro dela com o traficante em Olinda/PE. Disse apenas que quando entregasse a droga receberia a quantia de R4 1.500 (mil e quinhentos reais) e que era a primeira vez que fez o transporte de droga.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

O Reitor da Universidade de Pernambuco, Profº Pedro Henrique Falcão, fez uma visita de cortesia à diretoria do Grupo Ferreira Costa, nesta segunda-feira (19). Os empresários Ciro Costa e Guilherme Ferreira Costa recepcionaram o reitor, ratificando a parceria entre as instituições. Através de articulação entre o próprio reitor e a empresa, foi possível requalificar e revitalizar o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), na capital pernambucana. O grupo Ferreira Costa fez a doação de todo o material necessário, em parceria com as Tintas Suvinil, para a pintura da Unidade de Saúde, que ganhou nova imagem em sua fachada, mais moderna, limpa e bela.

O reitor Pedro Falcão fez questão de agradecer pessoalmente: “Não se faz gestão pública sem parcerias. Entendemos esta contribuição como um grande presente não somente ao Hospital ou à Universidade, mas aos seus usuários e toda a população pernambucana. Agradeço a Ferreira Costa e as tintas Suvinil, e também aos nossos servidores, que participaram do projeto em prol do hospital”, frisou o reitor. O Profº Guido Corrêa, Assessor de Relações Internacionais da UPE, acompanhou profº Pedro Falcão na visita.

A gestora executiva do Huoc/UPE, Profa. Izabel Avelar, destacou que a doação trará mais ânimo para os servidores, médicos e pacientes. “A ação promoverá a renovação do olhar que as pessoas têm voltado para o hospital, promovendo uma sensação de acolhimento, cuidado e bem-estar para os usuários e funcionários”, comemorou.

A pintura foi realizada num ato coletivo pelos próprios servidores do hospital e de outras unidades da UPE.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Um casal foi executado a tiros na noite desta quinta-feira (15), no município de Ribeirão, na Zona da Mata pernambucana.

O duplo homicídio foi praticado por elementos que chegaram a residência das vítimas em dois veículos, com um machado arrombaram a porta e efetuaram vários disparos de pistola ponto 40, o casal foi identificado como, Cleyton Ferreira de Melo, de 34 anos e Lilian Araújo de Melo, de 32 anos, que não resistiram.

Eles eram evangélicos e até o momento não se sabe o que teria motivado as execuções, os corpos foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Com reforço de 32% no lançamento de policiais em relação a 2017, o Carnaval de 2018 em Pernambuco apresentou redução em todas as modalidades criminosas, fazendo da festa deste ano uma das que mais trouxe sensação de segurança à população e aos visitantes. Estatísticas da Secretaria de Defesa Social (SDS) demonstram, por exemplo, queda de mais de 50% em Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) e de 25% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), nos quatro dias de festa.

Entre a 0h do sábado (10/02) e as 23h59 de terça-feira (13/02), foram registrados 59 CVLIs, contra 79 do Carnaval do ano passado. O maior decréscimo se deu no interior, em que houve redução de 36,6% nos casos, seguida da Região Metropolitana (-17,4%) e da capital (-6,7%). O único homicídio cometido em foco de folia foi registrado no bairro de Comporta, em Jaboatão dos Guararapes (RMR), no domingo (11/02). Uma jovem de 23 anos foi esfaqueada por uma mulher enquanto era segurada por outra, durante o desfile do bloco Estrela da Tarde. Uma suspeita já está presa e a outra foi identificada e é procurada pela polícia. No ano passado, foram três mortes em focos de folia oficiais.

No mesmo período de 2018, registraram-se 783 CVPs – 50,4% a menos que nos quatro dias de Carnaval de 2017, com 1.580. A redução se deu em todas as regiões, com destaque para a RMR, com 54%. O dia de menor incidência de roubos foi a terça-feira, com 65% de redução em relação ao ano anterior. Especificamente no caso dos roubos a ônibus, a diminuição foi ainda maior: nove casos notificados, contra 27 no ano anterior (-67%). Somente em focos de folia, foram 617 roubos e furtos no Carnaval de 2018, 19,8% a menos que no Carnaval anterior, que havia registrado 769 casos.

Além disso, o número de agressões/vias de fato entre o sábado e a terça-feira foi de 82, contra 128 no mesmo período de 2017. Isso significa uma redução de 35,9% nos casos. Quanto aos estupros e atos obscenos, o número de ocorrências registradas também caiu: de 7 em 2017 para 4 em 2018 (-42,9%).

O secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua, ressaltou que os grandes beneficiados com esse resultado foram a população e os turistas. “As operativas da SDS trabalharam integradas e eu, pessoalmente, estive em diversos focos de folia, como os do Recife, de Olinda, Paulista, Bezerros, Pesqueira e Nazaré da Mata. Sem dúvida, posso afirmar que a maior conquista do Carnaval deste ano não foi somente a redução em todas as modalidades criminosas, mas a sensação de segurança que ganhamos em todo o Estado. É importante reforçar que tivemos esse desempenho mesmo com recorde de público no Recife, que passou de 1,3 milhão de pessoas em 2017 para 1,6 milhão em 2018, segundo dados divulgados pela própria prefeitura”, declarou.

CELULAR – Os postos de atendimento do Alerta Celular conseguiram cadastrar 3.695 aparelhos no Sítio Histórico de Olinda e no Recife Antigo. Nesse programa da SDS, o IMEI dos telefones móveis fica em um cadastro, o qual é consultado pelas polícias em abordagens, permitindo a recuperação e devolução aos donos. A medida tem ajudado a inibir esse tipo de crime. Em 2017, houve 1.280 furtos e roubos de celulares no Carnaval, contra 1.019 em 2018, o que representa 20,4% de queda.

BOMBEIROS – O Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco (CBMPE) realizou mais procedimentos no Carnaval de 2018, superando em 17,5% os de 2017. Foram 684 ações preventivas e atendimentos, a exemplo de salvamento, atendimento pré-hospitalar e emergências clínicas.

quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018

Fiscalização de condutas graves será ampliada; grupos especializados atuarão no enfrentamento ao crime

Começa na sexta-feira (9) e segue até a quarta-feira de cinzas (14), a Operação Carnaval 2018 da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Pernambuco. A ação integra a Operação Rodovida e tem como objetivos proporcionar mais segurança e reduzir acidentes graves no trânsito. Neste sentido, serão intensificados a fiscalização, o policiamento e as ações educativas nas principais rodovias que levam aos polos festivos do estado.

No Agreste, as ações acontecem principalmente na BR 232, que dá acesso a Gravatá, Bezerros e Caruaru. Na Região Metropolitana do Recife, o foco está na BR 101, que leva ao litoral Norte e Sul de Pernambuco, bem como aos estados de Alagoas e Paraíba.

O Carnaval é um dos períodos mais críticos do calendário de operações da PRF, pois conta com grande fluxo de veículos nas rodovias federais e a mistura de álcool e direção é uma das principais preocupações do órgão. A PRF também ampliará a fiscalização de condutas graves como excesso de velocidade, ultrapassagens indevidas e falta de equipamentos de segurança (capacete, cinto de segurança e cadeirinha para crianças).

O policiamento contará com o apoio do Núcleo de Operações Especiais e dos Grupos de Motociclismo e Policiamento Tático da PRF. Composto por policiais especializados no combate ao crime, essas equipes atuarão para coibir roubos, receptação, porte ilegal de arma e tráfico de drogas.

Já as ações educativas serão realizadas durante as abordagens aos veículos, em que motoristas e passageiros serão orientados sobre cuidados para evitar acidentes. Além disso, serão repassadas informações sobre o enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que pode ser denunciada pelo Disque 100.

A Base de Operações Aéreas da PRF, que atua em conjunto com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), estarão de prontidão para realizar o resgate de vítimas graves e acompanhar a operação. A Central de Informações Operacionais (CIOP) funciona 24 horas por dia e atende emergências pelo telefone 191.

Recomendações aos motoristas

Descanse bem antes de pegar a estrada e faça revisões periódicas no seu veículo.

Verifique se a documentação pessoal e do veículo estão atualizadas.
Mantenha uma distância segura dos outros veículos e respeite os limites de velocidade.

Só ultrapasse com segurança e em locais permitidos pela sinalização.

Mantenha o farol baixo ligado durante toda a viagem.

A falta de atenção foi a principal causa de acidentes no ano passado, por isso evite distrações, como utilizar o celular ou mexer no aparelho de som do carro.

quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018

A Polícia Federal em Pernambuco deflagrou, na data de hoje (08/02/2018), a segunda fase da Operação Torrentes, denominada Círculo de Fogo, com o propósito de apurar desvio de recursos públicos federais e corrupção envolvendo oficiais do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão.

Os documentos apreendidos no bojo da primeira fase da Operação Torrentes – a qual desvelou diversas irregularidades perpetradas pela Secretaria da Casa Militar de Pernambuco na aplicação dos recursos federais repassados para o atendimento da população atingida pelas fortes chuvas que assolaram a mata sul pernambucana nos anos de 2010 e 2017 – revelaram que um dos grupos empresariais ali favorecido também fora beneficiado com contratos firmados com o Corpo de Bombeiros Militar do estado do Maranhão nos anos de 2013 e 2014, porém, desta feita, destinado a auxiliar as vítimas da forte seca que atingiu esse estado naqueles anos.

Chamou a atenção dos investigadores que tão logo os valores eram creditados pelo Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão na conta da empresa fornecedora investigada, parte deles era repassada diretamente para as contas bancárias de oficiais daquela instituição, inclusive da alta cúpula, ou para as contas de um operador, que se encarregava de transferir-lhes a vantagem indevida.
Os indícios também apontam superfaturamento nos contratos em virtude de preço quase 30% superior ao de mercado e também do não fornecimento integral do objeto pactuado, os quais podem totalizar um prejuízo de mais de R$ 10 milhões de reais aos cofres públicos.

Ao todo, cerca de 80 policiais federais, com o apoio de servidores da Controladoria-Geral da União, estão cumprindo 7 mandados de prisão preventiva e 9 mandados de busca e apreensão nos estados de Pernambuco e Maranhão, todos expedidos pela 13ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco. Também foi determinado o sequestro dos bens de todos investigados, como forma de garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos.

Os presos de Pernambuco serão trazidos para a sede da polícia federal onde serão interrogados e dependendo do seu grau de participação e envolvimento responderão pelos crimes do art. 317, §1º do Código Penal (corrupção passiva) por parte dos funcionários públicos do CBMMA e Art. 333 do Código Penal (corrupção ativa) por parte de alguns empresários que estavam na condição de verdadeiros proprietários da empresa FJW EMPRESARIAL – cujas penas ultrapassam os 12 anos de reclusão. Após serem ouvidos todos serão encaminhados para fazer exame de corpo de delito e compareceram à audiência de custódia e caso seja ratificada suas prisões os civis serão encaminhados para o Cotel e Colônia Penal Feminina e os militares para uma instituição designada pelo Comando da Polícia Militar de Pernambuco.

Fonte: Polícia Federal
quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018

Quem conhece? Quem já ouviu falar? Ou melhor, quem já viu fotos dos PMs Mirins se destacando no Carnaval.

Na edição do Carnaval de Olinda de 2015, eles foram alvos de holofotes quando pousaram em fotos com o Soldado Herbert do 9° BPM de Garanhuns-PE, que repercutiu positivamente a nível internacional. E daí em diante foram notícia e recebem até hoje muitos elogios.

Nesta quarta-feira (7), eles foram convidados pelo Comandante Geral da Polícia Militar de Pernambuco, Coronel Vanildo Maranhão Neto, a conhecerem as instalações do Quartel do Derby. E o dia foi ainda mais marcante, para o pequeno Guilherme que estava completando 6 anos de idade e o Gabriel seu irmão, hoje tem 4 anos.

A ação do Comandante da PM, demonstra reconhecimento por aqueles que acreditam no trabalho da Polícia Militar de Pernambuco, e que se fantasiado de Polícia, elevam o nome da Instituição.

Para os PMs Mirins, sua mãe e avó, os Parabéns da população pernambucana e para o Coronel PM Vanildo Maranhão, gratidão pelo reconhecimento desses futuros cidadãos de bem do nosso Estado.

quarta-feira, 07 de fevereiro de 2018

Apesar da promessa do Governo de Pernambuco de reduzir os homicídios, os números não param de subir. Em menos de 40 dias, mais de 500 pessoas foram vítimas de mortes violentas. Os dados, ainda preliminares, fazem parte de um levantamento da Rádio Jornal.

De 1º de janeiro até a madrugada deste quarta-feira, dia 7, pelo menos 517 homicídios foram registrados em Pernambuco. Destes, 265 foram em cidades do Interior. Somente nas últimas 24 horas, 19 pessoas foram mortas, sendo 12 no Interior.

O número é bem acima da média registrada no ano passado, quando cerca de 13 homicídios eram praticados por dia. Uma preocupação a mais para o Governo do Estado, já que nos dias de Carnaval essas estatísticas tendem a aumentar. Oficialmente, a Secretaria de Defesa Social (SDS) só deve se pronunciar no próximo dia 15 sobre os números da violência já registrados neste ano.

INQUÉRITOS ATRASADOS – De acordo com a Polícia Civil, somente três em cada dez inquéritos de homicídios abertos em 2017 foram concluídos.  Ao todo, 5.093 inquéritos de homicídio foram abertos no ano passado para investigar mortes violentas registradas no Estado. Destes, 1.660 foram remetidos à Justiça. Um total de 32,6% de taxa de resolução.

Nesta semana, cerca de 1.200 novos policiais civis e científicos tomaram posse. Uma das primeiras missões será agilizar as investigações de assassinatos. Para isso, parte dos delegados e agentes de Polícia foram lotados no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

VIOLÊNCIA CRESCENTE – Nos três primeiros anos da gestão do governador Paulo Câmara (2015 a 2017), Pernambuco registrou 13.795 assassinatos. Se comparado com o mesmo período do segundo mandato do ex-governador Eduardo Campos (2011 a 2013), quando 9.928 mortes foram contabilizadas, houve aumento de 39%. O ano de 2017 fechou como o mais violento da história.

(Com informações do Ronda JC/JC Online)

segunda-feira, 05 de fevereiro de 2018

Apenas três em cada dez investigações de homicídio registradas em 2017 foram concluídas

Uma das primeiras missões dos 1,2 mil novos policiais civis e científicos que tomam posse nesta segunda-feira (05) será agilizar as investigações de homicídios em Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, somente três em cada dez inquéritos abertos em 2017 foram concluídos. Apesar de ser abaixo do esperado, o órgão afirma que esse resultado está acima da média nacional.

Ao todo, 5.093 inquéritos de homicídio foram abertos no ano passado para investigar as 5.427 mortes violentas registradas no Estado. A Polícia Civil explica que há divergências entre os números porque algumas das investigações abertas apuram mais de um homicídio.

Até o início deste ano, 1.660 inquéritos referentes aos crimes praticados em 2017 foram remetidos à Justiça. Um total de 32,6% de taxa de resolução. Em termos comparativos, uma pesquisa do Instituto Sou da Paz, publicada em novembro do ano passado, aponta que estados como São Paulo e Mato Grosso do Sul apresentam índices melhores. O primeiro consegue solucionar, em média, 38%. O segundo, 55,2%.

As estatísticas foram obtidas via lei de acesso à informação. O Ronda JC havia solicitado a mesma demanda desde dezembro do ano passado à assessoria de imprensa da Polícia Civil, mas não teve resposta.

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), Áureo Cisneiros, a baixa taxa de resolução de inquéritos tem relação direta com a falta de profissionais voltados para esse tipo de investigação. “Nos últimos anos, as equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa diminuíram em 60%. Antes eram 21 delegados, agora são cerca de sete. Além disso, há sobrecarga de trabalho e os policiais não conseguem dar conta. Eles estão adoecendo com tanta cobrança”, disse.

Já o presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado, Francisco Rodrigues, reconheceu que o problema é nacional e já dura pelo menos três décadas, com a escalada da violência e falta de efetivo policial suficiente. “Com a chegada dos novos policiais, vamos aumentar a produção e a taxa tende a melhorar”, pontuou.

Em nota, a assessoria da PCPE informou que “a meta é esclarecer todos os Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) e retirar de circulação os homicidas envolvidos. Em 2017, foram presos, pelas polícias pernambucanas, 2.249 suspeitos de cometer assassinatos”. Disse ainda que “a taxa de resolução de inquéritos, com autoria definida, chega a ser quatro vezes maior que a média nacional, o que demonstra o compromisso dos que fazem a corporação com a população”.

Nos três primeiros anos da gestão do governador Paulo Câmara (2015 a 2017), Pernambuco registrou 13.795 homicídios. Se comparado com o mesmo período do segundo mandato do ex-governador Eduardo Campos (2011 a 2013), quando 9.928 mortes foram contabilizadas, houve aumento de 39% nos assassinatos. O ano de 2017 fechou como o mais violento da história.

Os novos policiais começam a exercer suas funções na próxima sexta-feira. São 822 policiais civis (139 delegados, 597 agentes e 86 escrivães) e 392 científicos (125 peritos criminais, 44 papiloscopistas, 123 auxiliares de peritos, 36 médicos legistas e 64 auxiliares).

PERFIL DAS VÍTIMAS

Levantamento da Secretaria de Defesa Social, divulgado pelo Ronda JC na semana passada, apontou que 95% dos homicídios registrados no Estado têm como vítimas negros e pardos. Para especialistas, esse resultado não é surpresa e demonstra a desigualdade, com ausência de políticas públicas, que persiste na sociedade.

Para o Ministério Público de Pernambuco, a pesquisa aponta uma omissão das instituições em relação aos negros. “Existe, inclusive, uma má vontade do Estado de fazer esse recorte nas estatísticas. E, quando as vítimas são negras, a polícia não se empenha em fazer investigação e não identifica os autores dos crimes, porque a vida daquelas pessoas não tem muito valor. Há uma indiferença das instituições. A realidade é que não há políticas para desconstruir ou minimizar isso”, afirmou a procuradora de Justiça Maria Bernadete Figueiroa. A Polícia Civil afirma que todos os homicídios são investigados com o mesmo empenho.

(Com informações do Rodas JC)

sexta-feira, 02 de fevereiro de 2018

Tendo em vista o incidente aéreo ocorrido com o helicóptero (Robson R44/II, prefixo PP-HLI Newscopter – Aeronave específica para filmagem aérea) da empresa HELISAE que presta serviço à Rede Globo de Televisão e que aconteceu no dia 23/01/2018, por volta das 6:15h, (depois da aeronave ter saído do Hangar do Aeroporto Internacional dos Guararapes às 5:50h) caindo no mar, perto de algumas pedras na praia do Pina-Recife/PE, o qual tinha como tripulação três pessoas: DANIEL CAVALCANTI FIGUEIRA GALVÃO, 36 anos – piloto e comandante da aeronave, LIA MARIA ABREU DE SOUZA, 34 anos, 1º Sargento da Aeronáutica e controladora de voo do CINDACTA III e MIGUEL BRENDO PONTE SIMÕES, 21 anos, operador de sistemas de captação, gravação e transmissão de imagens – todos mortos no fatídico acidente.

A POLÍCIA FEDERAL INFORMA O SEGUINTE: que já foi instaurado o respectivo inquérito policial no dia 23.01.2017, e, que no dia do acidente, policiais e peritos federais do SETEC-Setor Técnico e Científico estiveram no local e acompanharam toda a situação em que ocorreu o incidente fazendo anotações, registros fotográficos, conversando com todos os órgãos envolvidos na elucidação dos fatos, os quais levaram à queda do helicóptero, bem como do resgate dos corpos e dos destroços.

A Polícia Federal entra no caso em virtude de interesse da União e do dispositivo constitucional contido no artigo 109, inciso IX o qual confere competência a Justiça Federal para processar e julgar crimes cometidos a bordo de aeronaves; As investigações visam apurar a suposta pratica do delito contido no Código Penal em seus artigos 261, § 1º (atentado contra a segurança de transporte aéreo, com queda e destruição de aeronave) e artigo 121 (homicídio) sem prejuízo de outros porventura identificados no decorrer das investigações.

DENTRE AS PROVIDÊNCIAS JÁ ADOTADAS ESTÃO VÁRIAS SOLICITAÇÕES TAIS COMO:

1. SETEC-SETOR TÉCNICO E CIENTÍFICO DA POLÍCIA FEDERAL: Realização de Laudo de Exame de Local e demais diligências e exames necessários ao esclarecimento dos motivos que provocaram o acidente aéreo;
2. NÚCLEO DE OPERAÇÕES DA POLÍCIA FEDERAL: Realização de diligencias com o objetivo de localizar residências e comércios na região que porventura tenham equipamentos de vigilância que possam ter registrado o acidente aéreo e intimação de cinco populares que presenciaram ou estiveram no local e socorreram algumas vítimas, imediatamente após o acidente;
3. SERIPA/RECIFE-(SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS): Participação da Policia Federal quando da realização de algum ato de investigação ou perícia que possa significar destruição ou impossibilidade de reexame sob qualquer destroço ou elemento coletado no local de crime;
4. ANAC-AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Dados sobre a aeronave, suas inspeções anuais de manutenção (IAMs), dados sobre o piloto (habilitação, saúde, histórico de exames práticos realizados para o helicóptero Robinson R-44 II); Informações sobre a regularidade e as condições técnicas e operacionais da empresa HELISAE; Regularidade da(s) respectiva(s) oficina(s) de manutenção e o encaminhamento, ao final dos trabalhos;
5. HELISAE: Todas as informações disponíveis sobre a aeronave, notadamente manutenção, dados e documentos do piloto e o plano de voo; Condições de aero navegabilidade do avião; As manutenções, inspeções e revisões gerais realizadas na citada aeronave com a discriminação das respectivas datas, das oficinas e mecânicos responsáveis: A quantidade e a qualidade do combustível utilizado para abastecer a aeronave no dia do acidente e se houve prévia realização de teste de amostragem; A quantidade de carga levada pela aeronave no dia do acidente; A validade dos certificados de habilitação técnica e de capacidade física dos pilotos e suas jornadas de trabalho com a discriminação das horas voadas nos últimos 30 dias anteriores ao acidente e do período de descanso desde o voo anterior; Relação de todos os sócios e empregados da empresa aéreas, com os respectivos dados cadastrais;
6. DECEA (DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DO COMANDO DA AERONÁUTICA): Dados documentais (plano/notificação de voo) e de registro em sistemas de radares, bem como nos sistemas de rádio-comunicação, do voo e das comunicações da aeronave na ocasião do sinistro, bem como eventuais dados de meteorologia disponíveis;
7. IML – INSTITUTO DE MEDICINA LEGAL: Informação sobre a causa da morte das vítimas do acidente aéreo e encaminhamento dos respectivos laudos tanatoscópicos;
8. POLÍCIA CIVIL – A Polícia Civil já confirmou sua saída do caso e providenciou o repasse de todas as providencias já adotadas em sua investigação para a Polícia Federal – tais procedimentos serão analisados e já foram adicionados ao inquérito policial em curso.

Por fim a Polícia Federal se solidariza com a dor e o sofrimento das famílias das vítimas neste trágico acidente e esclarece que casos como esse em virtude de depender de várias análises periciais e de informações técnicas de diversos órgãos envolvidos, demanda-se bastante tempo para se fazer uma análise aprofundada sobre as possíveis causas que ocasionaram a queda da aeronave, bem como atribuir responsabilidades a possíveis culpados. Todas as ações promovidas pela Polícia Federal visam promover uma avaliação pormenorizada de toda a situação e espera respostas de algumas solicitações técnicas já feitas, para daí então, poder traçar uma linha de investigação coerente e ouvir todas as pessoas e representantes dos órgãos envolvidos.

Informações adicionais serão passadas posteriormente, caso a Polícia Federal entenda ser relevante para conhecimento público.

Fonte: Polícia Federal