sexta-feira, 06 de março de 2020

A Polícia Federal em Pernambuco, procedeu a autuação em flagrante na tarde do dia 02/03/2020, por volta das 11h, de um universitário (está cursando o 9º período do curso de Direito) solteiro, 25 anos, natural de Recife/PE e residente em Iputinga/PE, (não possui antecedentes criminais).  A prisão foi realizada por policiais federais lotados na Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários-DELEFAZ, através de informações na área de inteligência policial, dando conta de que um suspeito (ainda não identificado) teria enviado uma remessa de cédulas falsas, a partir de uma agência dos Correios de Goiana/GO e que teria como destino a agência dos Correios de Recife/PE.

De posse dessas informações foi montada uma equipe de policiais federais que se dirigiram até a agência com vistas a identificar o destinatário e realizar a prisão, caso houvesse a confirmação da ilicitude. A ação teve seu desfecho, quando os federais identificaram a encomenda e se dirigiu ao endereço do remetente e quando o funcionário dos Correios fez a entrega o universitário foi abordado pelo federais que ao ser solicitada  a abertura do envelope, constatou-se que dentro dele havia contendo 50 cédulas falsas, de R$ 20 reais totalizando R$ 1.000,00 (mil reais);

Terminado os trabalhos ostensivos e tendo sido constatado a existência das cédulas falsas, o universitário recebeu voz de prisão em flagrante, foi informado dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida foi conduzido para a Superintendência da Polícia Federal, no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuado em flagrante pelo crime contido no artigo 289 § 1º do Código Penal  (Adquirir Moeda Falsa) e caso seja condenado poderá pegar penas que variam de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa Após a autuação, o preso realizou Exame de Corpo de Delito no IML – Instituto de Medicina Legal, foi encaminhado para a audiência de custódia, onde foi liberado e responderá ao processo em liberdade, ficando a disposição da Justiça Federal.

Em seu interrogatório, o preso informou que as cédulas falsas não lhe pertenciam e que apenas as receberia para passar para um amigo que é membro de uma torcida organizada de um time pernambucano (não deu detalhes sobre quem seria). Disse ainda que pagou pelas notas R$ 100 e que tais notas foram enviadas por um torcedor de um time de Goiás. Por fim disse que estava extremamente arrependido pelo que havia feito. A Polícia Federal vem desenvolvendo várias operações policiais no Brasil onde tem identificado e prendido criminosos que estão utilizando tanto os correios como a internet para a venda ilegal de notas falsas. Em 13/03/2019, foi deflagrada a operação Big Jhow no Espírito Santo, em 10/09/2019 – Operação Monster no Tocantis e em 22/10/2019, a operação Real Fake em Cuiabá. O Facebook, proíbe o uso da rede social para facilitar ou organizar atividades criminosas que causem danos financeiros a pessoas ou negócios e remove qualquer conteúdo desse tipo quando ficam ciente através de denúncias.

Fonte: Polícia Federal

Postado Por: Jailson Ferreira

clinica

clinica

CONTADORA

CONTADORA

CURVELO

CURVELO