PRESO EM GARANHUNS UM DOS ELEMENTOS ENVOLVIDOS NO RAPTO DE CRIANÇA EM PANELAS

sábado, 30 de dezembro de 2017

Uma operação da Polícia Militar e Civil resultou na prisão de um dos envolvidos no rapto da menina Flaviana da Silva Moreira, de 3 anos, a operação foi realizada nas primeiras horas da manhã deste sábado (30), no bairro da Massaranduba, em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco.

A prisão de Robério Aparecido da Silva, de 31 anos, aconteceu por força de mandado de prisão expedido por um juiz da cidade de Caruaru, durante está semana ele chegou a ser preso duas vezes, conduzido ao plantão da 18ª DESEC e por não haver mandado de prisão foi liberado.
Na última quarta-feira (27), o carro usado por Robério e o comparsa que está sendo procurado, foi localizado também na massaranduba pela 22ª Delegacia de Homicídios e policiais do GATI, no mesmo dia a criança que até então não tinha sido encontrada foi deixada por duas mulheres na cidade de Catende, na Mata Sul do Estado.

A Operação contou com a participação do Núcleo de Inteligência do Agreste, Malhas da Lei, GATI, ROCAM e Policiais civis, Robério foi levado para delegacia de Caruaru e será recolhido ao Presídio Juiz Plácido de Souza.

LAUDO DO IML DESCARTA VIOLÊNCIA SEXUAL EM CRIANÇA SEQUESTRADA EM PANELAS

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Durante uma coletiva de imprensa realizada pela Secretaria de Defesa Social (SDS) na manhã desta quinta-feira (28) no Recife, foi divulgado o laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, que descartou que a criança de três anos, sequestrada em Panelas, tenha sofrido violência sexual.

De acordo com a gerente da Polícia Científica, Sandra Santos, a criança apresentava descuidos, mas não foram encontrados indícios de abuso sexual.

“A criança foi levada ao IML de Caruaru. Lá, o perito médico legista José Alves fez a perícia traumatológica e a perícia sexológica. Ele não confirmou a informação de que a criança havia sido estuprada. Segundo o médico, não há nenhum sinal de violência sexual e física na criança”, afirmou a gerente geral da Polícia Científica, Sandra Santos.

A informação divulgada na coletiva contradiz o que foi dito na manhã desta quinta-feira (28) pela Polícia Civil. Anteriormente, a polícia havia divulgado que um médico da policlínica do município, onde a criança foi atendida, teria informado que o hímen dela estava rompido.