HOMEM FOI ASSASSINADO NO BAIRRO AREIA BRANCA, EM IBIMIRIM

segunda-feira, 02 de setembro de 2019

Um homem foi assassinado na noite do sábado (31/8), em Ibimirim, no Sertão de Pernambuco.

Nivaldo Gomes dos Santos, de 59 anos, estava em um espetinho acompanhado de três mulheres, quando foi surpreendido com a chegada de três elementos armados, eles estavam encapuzados, desembarcaram de um veículo e um deles efetuou cerca de oito disparos, Nivaldo não resistiu e morreu no local.

De acordo com a polícia a proprietária do espetinho foi atingida com dois tiros de raspão em uma das pernas, ela foi levada para o hospital, recebeu atendimento e foi liberada.

A Polícia Civil ainda não sabe quem são os autores do crime nem sua motivação, o corpo foi levado para o IML de Caruaru.

DOIS HOMENS SÃO DETIDOS EM SÃO CAETANO COM CAMINHONETE ROUBADA

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Veículo havia saído de Ibimirim em direção à capital do Agreste

Uma caminhonete que havia sido roubada em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, foi recuperada na quarta-feira (28), na BR 232, em São Caetano, na mesma região. O motorista de 47 anos e o passageiro de 38 anos foram detidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na ação.

A caminhonete portava placas clonadas de outro veículo regularizado e foi abordada em uma fiscalização no quilômetro 145 da rodovia. Após uma verificação aprofundada, foi constatado o registro de roubo em janeiro de 2017, além de indícios de adulteração no documento do veículo.

O motorista informou que havia combinado com o passageiro o transporte de uma carga de maracujá, de Ibimirim, no Sertão, até Caruaru. Já o passageiro disse que o veículo pertencia ao irmão dele e que não sabia das irregularidades encontradas.

Os homens foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil de Belo Jardim, para prestar esclarecimentos. Quem conduz veículo roubado pode responder por receptação, que prevê pena de 1 a 4 anos de reclusão, e multa.

IBIMIRIM: POLÍCIA CIVIL PRECISA APRIMORAR INVESTIGAÇÃO CRIMINAL NO MUNICÍPIO

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Diante de algumas lacunas nas investigações realizadas pela Delegacia de Polícia Civil de Ibimirim, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou à unidade policial que aprimore o curso das investigações, observando diversas medidas tendentes a melhorar a instrução dos procedimentos investigativos.

“Percebe-se que alguns equívocos devem ser corrigidos, porquanto é de conhecimento a importância que tem o trabalho desempenhado pela polícia judiciária, o qual, se exercido de maneira satisfatória, não só contribui para uma completa elucidação dos fatos que dia após dia são analisados, como também contribui para o êxito de que aqueles que concorrem de alguma forma para a prática de infrações penais sejam responsabilizados quando do julgamento de ações penais ajuizadas. Assim, no exercício do controle externo difuso da atividade policial, ao Ministério Público cumpre verificar a regularidade e a adequação dos procedimentos empregados na atividade policial, com o objetivo de que tais finalidades, dentre outras, sejam alcançadas”, destacou o promotor de Justiça João Paulo Carvalho dos Santos.

Sabe-se, por outro lado, que a Polícia Civil encontra dificuldades referentes ao grande número de feitos e escassez de servidores, porém tais dificuldades não podem impedir a busca pela melhor prestação possível, já que, por imperativo constitucional, a Administração Pública deve atuar com eficiência nos serviços prestados (artigo 37, caput).

As autoridades da Delegacia devem, por exemplo, promover oitivas de todos os envolvidos nos delitos em apuração (autores, vítimas, testemunhas, testemunhas referidas, informantes), vez que “Inúmeros são os feitos em que, não obstante a existência de diversas pessoas presentes no local dos fatos ou que foram citadas em outros depoimentos e que, diante das circunstâncias, podem contribuir para uma completa elucidação dos fatos, não há a colheita dessa prova, em afronta ao que estabelece o Código de Processo Penal, quando impõe à autoridade policial a obrigatoriedade de colher todas as provas que servirem para o esclarecimento do fato e suas circunstâncias”, afirmou o promotor de Justiça João Paulo Carvalho dos Santos.

Entre outros exemplos de aprimoramento, deve ser providenciada a identificação civil do investigado, com a juntada de cópia do documento aos autos. Não sendo possível, seja realizada a identificação criminal do autor do fato em observância e nos limites da legislação.

Outra diligência considerada importante é a consistente na juntada aos autos da certidão de antecedentes do investigado, visando a análise desde o primeiro momento da necessidade de se pleitear junto ao Judiciário pela decretação de uma prisão cautelar.

A autoridade policial deve também atentar para a necessidade de precisar a data em que houve a conjunção carnal, o ato libidinoso, a satisfação da lascívia e/ou a submissão, induzimento ou atração à prostituição ou outra forma de exploração sexual, em crimes desta natureza. As vítimas de crimes sexuais devem ser encaminhadas ao Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou outro órgão ou entidade similar, principalmente em caso de vulnerabilidade, requisitando atendimento psicológico e emissão do respectivo laudo no prazo de dez dias.

“Nos delitos da Lei de Drogas, observar para que dos laudos conste a forma como a substância foi encontrada, especialmente sua embalagem, atentando-se à natureza e à quantidade da substância apreendida, ao local e às condições em que se desenvolveu a ação criminosa, às circunstâncias da prisão, bem como à conduta e aos antecedentes do agente”, frisou o promotor de Justiça no texto da recomendação.

Em se tratando dos delitos de homicídio e de latrocínio, por exemplo, “realizar, sempre que possível, perícia de recognição visuográfica do local do crime, instruída com croqui, fotografias, esquemas gráficos, sinalização, descrição do sítio dos acontecimentos, eventuais apreensões e arrecadações, histórico, indicação do corpo pericial e outros dados de interesse. Sendo de fundamental importância que conste, no mínimo, ilustração fotográfica do local”, recomendou o promotor.

A Delegacia de Ibimirim tem um prazo de 30 dias após o recebimento da recomendação para apresentar uma resposta ao MPPE, apontando os encaminhamentos tomados para cumprir as medidas recomendadas e informando sobre eventuais dificuldades de implementação.

Diante de algumas lacunas nas investigações realizadas pela Delegacia de Polícia Civil de Ibimirim, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou à unidade policial que aprimore o curso das investigações, observando diversas medidas tendentes a melhorar a instrução dos procedimentos investigativos.

“Percebe-se que alguns equívocos devem ser corrigidos, porquanto é de conhecimento a importância que tem o trabalho desempenhado pela polícia judiciária, o qual, se exercido de maneira satisfatória, não só contribui para uma completa elucidação dos fatos que dia após dia são analisados, como também contribui para o êxito de que aqueles que concorrem de alguma forma para a prática de infrações penais sejam responsabilizados quando do julgamento de ações penais ajuizadas. Assim, no exercício do controle externo difuso da atividade policial, ao Ministério Público cumpre verificar a regularidade e a adequação dos procedimentos empregados na atividade policial, com o objetivo de que tais finalidades, dentre outras, sejam alcançadas”, destacou o promotor de Justiça João Paulo Carvalho dos Santos.

Sabe-se, por outro lado, que a Polícia Civil encontra dificuldades referentes ao grande número de feitos e escassez de servidores, porém tais dificuldades não podem impedir a busca pela melhor prestação possível, já que, por imperativo constitucional, a Administração Pública deve atuar com eficiência nos serviços prestados (artigo 37, caput).

As autoridades da Delegacia devem, por exemplo, promover oitivas de todos os envolvidos nos delitos em apuração (autores, vítimas, testemunhas, testemunhas referidas, informantes), vez que “Inúmeros são os feitos em que, não obstante a existência de diversas pessoas presentes no local dos fatos ou que foram citadas em outros depoimentos e que, diante das circunstâncias, podem contribuir para uma completa elucidação dos fatos, não há a colheita dessa prova, em afronta ao que estabelece o Código de Processo Penal, quando impõe à autoridade policial a obrigatoriedade de colher todas as provas que servirem para o esclarecimento do fato e suas circunstâncias”, afirmou o promotor de Justiça João Paulo Carvalho dos Santos.

Entre outros exemplos de aprimoramento, deve ser providenciada a identificação civil do investigado, com a juntada de cópia do documento aos autos. Não sendo possível, seja realizada a identificação criminal do autor do fato em observância e nos limites da legislação.

Outra diligência considerada importante é a consistente na juntada aos autos da certidão de antecedentes do investigado, visando a análise desde o primeiro momento da necessidade de se pleitear junto ao Judiciário pela decretação de uma prisão cautelar.

A autoridade policial deve também atentar para a necessidade de precisar a data em que houve a conjunção carnal, o ato libidinoso, a satisfação da lascívia e/ou a submissão, induzimento ou atração à prostituição ou outra forma de exploração sexual, em crimes desta natureza. As vítimas de crimes sexuais devem ser encaminhadas ao Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou outro órgão ou entidade similar, principalmente em caso de vulnerabilidade, requisitando atendimento psicológico e emissão do respectivo laudo no prazo de dez dias.

“Nos delitos da Lei de Drogas, observar para que dos laudos conste a forma como a substância foi encontrada, especialmente sua embalagem, atentando-se à natureza e à quantidade da substância apreendida, ao local e às condições em que se desenvolveu a ação criminosa, às circunstâncias da prisão, bem como à conduta e aos antecedentes do agente”, frisou o promotor de Justiça no texto da recomendação.

Em se tratando dos delitos de homicídio e de latrocínio, por exemplo, “realizar, sempre que possível, perícia de recognição visuográfica do local do crime, instruída com croqui, fotografias, esquemas gráficos, sinalização, descrição do sítio dos acontecimentos, eventuais apreensões e arrecadações, histórico, indicação do corpo pericial e outros dados de interesse. Sendo de fundamental importância que conste, no mínimo, ilustração fotográfica do local”, recomendou o promotor.

A Delegacia de Ibimirim tem um prazo de 30 dias após o recebimento da recomendação para apresentar uma resposta ao MPPE, apontando os encaminhamentos tomados para cumprir as medidas recomendadas e informando sobre eventuais dificuldades de implementação.

ELETRICISTA FOI ASSASSINADO NA ZONA RURAL DE IBIMIRIM

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Um homem foi assassinado na noite desta quarta-feira (24), na Agrovila 04, na zona rural do município de Ibimirim, no Sertão de Pernambuco.

Edison Ferreira da Silva, de 49 anos, estava em casa quando alguém entrou na residência e matou ele com vários disparos de arma de fogo, vizinhos disseram a polícia que ouviram o barulho dos tiros e pouco tempo depois localizaram Edison sem vida.

A vítima era tida como uma pessoa de bem, não tinha inimizades e até o momento não se sabe o que motivou o crime nem sua autoria, o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, o caso será investigado pela Polícia Civil.

JOVEM COMETE SUICÍDIO APÓS COMEMORAR ANIVERSÁRIO DA MÃE EM IBIMIRIM

quarta-feira, 05 de junho de 2019

Um jovem de 22 anos cometeu suicídio na madrugada desta terça-feira (4), em uma agrovila de Ibimirim, no Sertão de Pernambuco.

Edivan Carvalho de Vasconcelos, estava comemorando o aniversário da mãe com amigos e familiares, quando avisou que iria pra casa tomar um banho, pouco tempo depois um irmão da vítima chegou a residência e encontrou ele enforcado por uma corda.

A Polícia foi chamada e o local passou por perícia realizada pelo Instituto de Criminalística, familiares não souberam informar o que teria motivado o jovem a tirar a própria vida, o corpo foi encaminhado para o IML de Caruaru.

PRESO ELEMENTO ACUSADO DE PRATICAR HOMICÍDIO EM IBIMIRIM/PE

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Policiais plantonistas na 19ª DESEC em conjunto com agentes da Delegacia de Ibimirim deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva referente ao José Orlando Almeida, vulgo “Gago” por prática de homicídio qualificado, praticado no último domingo (19/5), no Sítio Estiva, na zona rural do município de Ibimirim que vitimou o Nelson Teodoro da Silva, crime de repercussão na comunidade local.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a prisão ocorreu na tarde deste domingo 26/5, porém, desde o dia do crime policiais faziam diligências no intuito de elucidar o fato. O delegado Israel Rubis pediu a prisão do suspeito após ele ser apresentado no plantão da 19ª DESEC por policiais militares, em virtude de estar ameaçando testemunhas, nas proximidades onde ocorreram os fatos delituosos.

Com a prisão decretada ele foi capturado e recolhido ao Presídio Advogado Brito Alves, onde ficará à disposição da Justiça.

ACUSADO DE PRATICAR HOMICÍDIO NA ZONA RURAL DE IBIMIRIM FOI PRESO PELA POLÍCIA CIVIL

sábado, 25 de maio de 2019

Policiais civis da Delegacia de Ibimirim, no Sertão pernambucano, deram cumprimento ao mandado de Prisão Preventiva referente ao Luciano José da Rocha, pela prática de homicídio. A prisão ocorreu na tarde desta sexta-feira (24/5).

Segundo a Polícia Civil, Luciano é acusado de assassinar no último domingo 19/5, no Sítio Estiva, em Ibimirim, o Nelson Teodoro da Silva, crime que revoltou a população local. Desde o dia do delito, os Policiais Civis realizavam diligências e oitivas, no intuito de elucidar o fato. Em interrogatório realizado na delegacia, o criminoso assumiu a autoria do crime e deu detalhes de como o praticou.

Luciano José foi recolhido à Cadeia Pública de Ibimirim, onde ficará à disposição da Justiça.

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA MORTE DE ADOLESCENTE NA ZONA RURAL DE IBIMIRIM

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Um adolescente de 14 anos deu entrada sem vida no hospital do município de Ibimirim, no Sertão de Pernambuco, vítima de disparo de arma de fogo na cabeça, nesta quarta-feira (22).

De acordo com a Polícia Militar, familiares teriam dito que ele cometeu suicídio usando um revólver calibre 32, após se desentender coma mãe, os militares foram até a residência, onde um irmão da vítima já havia se livrado da arma jogando no mato.

Buscas foram realizadas e o revólver localizado, a ocorrência foi registrada como morte a esclarecer e o corpo encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, a Polícia Civil continua investigando o caso.

HOMEM FOI MORTO A FACADAS EM IBIMIRIM, NO SERTÃO

terça-feira, 21 de maio de 2019

Um agricultor de 48 anos foi encontrado assassinado nesta segunda-feira (20), em Ibimirim, no Sertão pernambucano.

O corpo foi encontrado por familiares no Sítio Estivas, o cadáver apresentava várias perfurações provocadas por golpes de faca peixeira, a polícia ainda não tem informações da autoria e motivação do crime, o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru.

POLÍCIA CIVIL PRENDE EM IBIMIRIM ACUSADO DE PRATICAR HOMICÍDIO A PAULADAS

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Com o preso foram apreendidas três pistolas e cerca de 100 munições, segundo a PC

A prisão do acusado ocorreu na manhã desta segunda-feira (15/4), na cidade de Ibimirim, Sertão de Pernambuco. Agentes da Delegacia de Homicídios, 23ª DPH, e Delegacia de Ibimirim, sob comando dos Delegados Raphael Henrique e Israel Lima, da 19ª Delegacia Regional de Arcoverde, deram cumprimento ao mandado de prisão e buscas e apreensão na residência do acusado, investigado por crime de homicídios que vitimou Felipe da Silva Tavares, morto, supostamente a pauladas, de forma cruel, em agosto do ano de 2018. Ainda segundo a Polícia Civil, o corpo da vítima foi encontrado no Sítio Caldeirão, próximo à divisa das cidades de Ibimirim e de Sertânia/PE.

Durante o comprimento das buscas foram encontradas 03 pistolas, 06 carregadores e cerca de 100 munições.

O preso foi encaminhado a sede da 23ª Delegacia de Homicídios de Arcoverde de onde será encaminhado ao presídio local.