quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Senta nesta quinta-feira, 19/09, no banco dos réus do tribunal do júri no Fórum Ministro Eraldo Gueiros Leite, em Garanhuns, o ex-caminhoneiro José Cláudio Marques de Siqueira. Ele foi preso no dia 29 de julho de 2015 na cidade de São Domingos do Azeitão, no Maranhão, após ficar foragido por cerca de 70 dias.

Inicialmente suspeito de ter sequestrado e matado a ex-esposa Patrícia Pereira da Silva, à época com 31 anos, José Cláudio acabou confessando o crime e disse ter desovado o corpo da ex-companheira na cidade baiana de Ribeira do Pombal.

O desaparecimento de Patrícia Pereira causou grande comoção na população de Garanhuns à época.  Ela saiu da casa onde morava, na Cohab II, em Garanhuns, no dia 18 de maio de 2015 para ir dormir na casa de uma amiga e não foi mais vista. Foram 70 dias de angústia e desespero para a família, até culminar com a triste notícia da sua morte.

Em sua confissão, José Cláudio disse que matou a ex-esposa dia 18 de maio de 2015 (mesmo dia do desaparecimento) e a provável motivação teria sido ciúmes. Ele teria levado Patrícia para um motel e lá teria a agredido com um soco. José Cláudio saiu com o corpo da mulher, provavelmente ainda viva, dentro da mala de um veículo de passeio. Em um posto de combustível ele teria colocado Patrícia dentro de seu caminhão e desovado o corpo na Bahia. Os restos mortais de Patrícia foram localizados dia 19 de agosto na cidade de Ribeira do Pombal.

O julgamento de José Cláudio ocorre a partir das 8 horas da manhã desta quinta. Parentes e amigos dizem estarem se mobilizando para comparecer ao fórum vestidos de preto como forma de protesto.

Do V&C

JAILSON-AVIAMENTO-ABRIL-2019-AV

JAILSON-AVIAMENTO-ABRIL-2019-AV

CONTADORA

CONTADORA

banner anuncie (2)

banner anuncie (2)