sexta-feira, 05 de julho de 2019

O caixão foi aberto para outro parente ser enterrado

Após 16 anos enterrado, o corpo de um homem foi encontrado intacto. O caso aconteceu no cemitério de João Alfredo, no Agreste de Pernambuco, quando o caixão foi aberto para outro parente ser enterrado.

O fato pode ser explicado pelos produtos usados para manter o corpo conservado enquanto era transportado do Rio de Janeiro, onde morreu, para João Alfredo, onde foi enterrado.

Caixão de zinco

O corpo estava dentro de um caixão de madeira que estava em um outro de zinco. Após ser enterrado, houve acúmulo de água e dos produtos usados para conservação. O caixão, por ser de zinco, não furou e a água permaneceu acumulada, fazendo o corpo permanecer do mesmo jeito durante esses 16 anos.

Postado Por: Paulo Fernando

clinica

clinica

CONTADORA

CONTADORA

CURVELO

CURVELO