sexta-feira, 29 de junho de 2018

Um procedimento administrativo foi instaurado para investigar um agente e uma assistente socioeducativos suspeitos de usar sprays de pimenta em adolescentes internos da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco.

O uso de sprays de pimenta é proibido nas unidades de internação de adolescentes, mesmo assim ainda estaria sendo adotado em alguns locais. No ano passado, o Ministério Público chegou a solicitar a interdição da Funase em Caruaru, também no Agreste, por denúncias de tortura – com uso de sprays e sufocamento com sacos plásticos.

Na portaria publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (29), a diretora presidente da Funase, Nadja Alencar, afirma que o procedimento administrativo visa “apurar as condutas e possíveis responsabilidades no suposto uso de spray de pimenta nos alojamentos do pavilhão IV” da unidade de Garanhuns.

Se comprovadas as irregularidades, os funcionários podem ser punidos inclusive com a demissão.

Com informações do Ronda JC

Postado Por: Paulo Fernando

CONTADORA

CONTADORA

CURVELO

CURVELO