segunda-feira, 08 de outubro de 2018

Evento ocorreu hoje (08) e incluiu presença de oficiais de Justiça. O próximo público-alvo é formado por policiais

Os direitos da mulher e sua aplicabilidade foram temáticas abordadas no seminário sobre violência doméstica e familiar e a lei 11.340/2006, intitulado “Avanços e desafios no âmbito da Rede de Apoio e Enfrentamento à Violência”, nesta segunda-feira (08), no Fórum Ministro Eraldo Gueiros Leite, em Garanhuns. O evento contou com a presença dezenas de autoridades da área jurídica e social, além de convidados que trabalham diretamente com os assuntos permeadores da política pública para a mulher, e foi comandado pelo juiz da Vara Especializada de Atendimento à Mulher de Olinda, Rafael Moraes.

Na ocasião, os participantes receberam orientações atualizadas sobre a Lei Maria da Penha. “O seminário traz conhecimento, sensibiliza e informa quando a legislação. Esses profissionais que aqui estiveram, vão poder sair mais capacitados para atuarem no dia a dia, quando chega uma ocorrência por exemplo. A ideia é deixar o acolhimento sempre melhor, a toda e qualquer vítima de violência e desmistificar quaisquer dúvidas sobre gênero e a aplicação da lei em si, evidenciando que de crianças à idosas, toda e qualquer mulher se encaixa na lei”, explica a secretária da Mulher de Garanhuns, Walkíria Alves.

Fortalecimento de Rede — A coordenadora do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do município de Quipapá, Laura Soares, esteve no seminário. Ela destacou como, na prática, essa capacitação continuada contribui para o trabalho socioassistencial. “Hoje, no cenário em que trabalhamos, seja em visitas de campo ou em escolas por exemplo, precisamos estar preparados para esclarecer as dúvidas. Observo que há carência por parte de algumas mulheres sobre seus direitos perante à lei”, ressaltou.

Estiveram presentes ainda representantes da Delegacia da Mulher, Primeira Vara Criminal, Conselho Tutelar, Secretaria de Administração, Secretaria de Educação, Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Conselho do Idoso, Ministério Público, Defensoria Pública, Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade de Direito de Garanhuns, Juizado Especial Criminal, Segunda Vara da Família, gestoras das Organizações do Agreste Meridional e Ceapa.

Assessoria de Comunicação Social e Imprensa — ACSI
Fotos: Camila Queiroz — Secom/PMG

drogaria

drogaria

prefeitura de garanhuns julho 2018

prefeitura de garanhuns julho 2018

otica aquarios agreste violento

otica aquarios agreste violento